Meu marido é uma 
pessoa difícil de se lidar

Ao Centro Redentor

Escrevo-lhes pedindo ajuda, pois já não sei mais o que devo fazer.

Sou casada, tenho vinte e oito anos e duas filhas lindas, uma com quatro e outra com cinco anos. Sou professora primária e faço pedagogia, na faculdade.

Tenho tudo para ser feliz, porém, ultimamente, minha vida se encontra um verdadeiro caos.

Meu marido ..., de quarenta anos, é professor e dono de dois colégios, um dos quais eu dirijo. Os colégios vão de mal a pior, tudo andando para trás. É gente que rouba, que engana, por isso estamos numa verdadeira crise. Meu marido está nervoso demais, só vive a chamar pelo diabo, pelo demônio, dizendo a altos brados que Deus não existe. Tudo isso me desespera. Eu não entendo como uma pessoa como ele, que estudou para padre, pode blasfemar tanto, dizer tantos palavrões e em certas horas querer rasgar as coisas.

Meu marido é uma pessoa difícil de se lidar, e eu não sei mais o que fazer. Ele reclama porque não vou ao colégio pela manhã, já que estou sem empregada. À tarde, vou à faculdade e, à noite, ao colégio. Quando chego em casa estou exausta, cansadíssima. Eu me preocupo demais com os problemas e sei que, em julho, o dinheiro que vem das bolsas de estudo não será suficiente para pagar os professores. Com tudo isto, meu marido quer viajar ao ..., o que acarretará uma despesa imensa.

Alego isso, mas ele "vira bicho" quando digo que não quero viajar, pois o dinheiro da viagem daria para pagar parte dos professores. Ele não aceita, fica "uma fera". Quer ir ao ... para acampar, mas a barraca está horrível e eu e as crianças não temos roupas adequadas, o que acarretaria mais despesas, sem falar no carro, que está em péssimo estado.

Como posso ficar calma? O que posso fazer?

Meu marido é do tipo que quando quer uma coisa, quer mesmo e pronto. Estou cansada de receber ofensas e escutar palavrões.

No ano passado, tive grandes amarguras quando ele passou a dar atenções excessivas a uma funcionária de um dos colégios. Para ela podia tudo, até levá-la ao médico ginecologista, porém, para mim, que estava grávida, nunca tinha tempo. Sofri, sofri muito, só Deus sabe como.

Aos meus irmãos não sei o que pedir e nem como fazê-lo. Ajudem-me, por favor. Venham até minha casa para ver se há más influências. Olhem meu marido, porque ele não é má pessoa, pois reconheço que são muitos os problemas. Mas, eu também não tenho culpa deles. Não agüento mais vê-lo dar murros nos armários a ponto de quebrá-los, destruindo as coisas.

Tanta gente prometeu nos ajudar, mas no fim não se vê nada.

Quero ser mãe, ser dona de casa e não ter que me dedicar só e exclusivamente aos colégios. Minhas filhas estão crescendo, sua infância passando e eu não as acompanho, porque a maior parte do tempo elas ficam com a avó. Eu não sou mulher de mil instrumentos! Gosto de fazer uma coisa de cada vez, em seu tempo e lugar. Não acho certo deixar as crianças ora com um, ora com outro, a ponto de perguntarem quando é que vamos ficar juntas.

Por favor, desculpem a caligrafia. Foi tudo feito às pressas e escondido, pois meu marido não pode saber disso.

Meu endereço é ..., mas colocarei no envelope o endereço de minha mãe, por causa do meu marido.

Muito obrigada
.

Somente o esclarecimento o levaria a refletir e mudar de atitude

Prezada Senhora,

Lemos, com toda a atenção, sua carta sem data. A prosperidade de qualquer estabelecimento depende de quem o dirige. A ineficiência administrativa, o hábito, muito comum em certas pessoas, de pôr de lado os problemas, ao invés de estudá-los imediatamente e dar-lhes pronta solução, deixando que se avolumem, conduz, inevitavelmente, ao fracasso.

Vida é luta, é ação, é dinamismo, é coragem e valor para vencer os obstáculos que surgem sempre. É na luta que o espírito mais evolui, e ele não está na Terra para fazer turismo, mas para promover essa evolução na parte que diz respeito a este mundo.

Para agravar as dificuldades, há os pensamentos negativos do seu esposo, o seu nervosismo, a sua falta de serenidade e controle, com que atrai (ainda que ele não o admita) espíritos obsessores da atmosfera terrestre, que o estão perturbando cada vez mais. A prova disso é a obsessão de que já se acha possuído, e o estado de alma que vem manifestando, tendendo, não tenha dúvida, a agravar-se cada vez mais, e envolvendo a esposa e os filhos.

Somente o esclarecimento o levaria a refletir, a cair em si, a mudar de atitude, a pensar bem, a única maneira de repelir os obsessores que o vêm dominando.

Ele, porém, lamentavelmente pertence ao número de indivíduos de idéias fixas radicais, que só aceita o que não contraria o que lhe foi martelado na mente desde criança e que, numa atitude contrária ao espírito da ciência, se recusa a admitir outros pensamentos, outras idéias, embora estas sejam renovadoras, a estudá-las, a analisá-las, a pesquisá-las, não dando um passo à frente no terreno da conquista científica. O verdadeiro espiritismo — não a magia negra que usa indevidamente o nome de espiritismo e promove essas sessõezinhas em família que se fazem por aí a três por dois — é profundamente científico em suas bases, em seus fundamentos, como muito bem disse, no começo deste século, ilustre professor da Faculdade de Medicina desta cidade, doutor Antônio Pinheiro Guedes, num magnífico livro que se intitula Ciência espírita, que dedicou aos demais professores da Faculdade. Referindo-se ao espiritismo, disse ser uma ciência vasta, profunda e eclética, que justifica todas as demais ciências.

Não a vamos enganar, senhora, com promessas que ninguém pode cumprir. Nesta Casa, só se diz a Verdade, agrade ou desagrade. Cada um constrói o seu futuro bom ou mau, de êxito ou de fracasso. Sortes e azares são concepções falsas que a ignorância humana dos porquês da vida e das leis comuns, naturais e imutáveis que regem o universo admite, como admite as superstições e o misticismo sustentado pela comodidade das crenças.

As obras editadas pelo Centro Redentor são didáticas, ensinam a viver com saúde, a prosperar em qualquer atividade honesta, mas não têm o poder de obrigar alguém a seguir os seus ensinamentos.

A senhora já imaginou a triste impressão que deixa no espírito de quem ouve o espetáculo de um professor ilustre a dizer impropérios, a proferir palavrões, inteiramente descontrolado? Nessa deplorável situação, ele transmite o que os obsessores lhe estão intuindo para perturbá-lo cada vez mais.

Enviamos-lhe alguns folhetos inclusive o da Limpeza psíquica. Não se associe à má assistência espiritual do seu esposo. Não perca a calma nem discuta com ele, para não piorar, ainda mais, o ambiente. Essa má assistência reflete-se nas filhas, podendo produzir-lhes males psíquicos diversos.

Com votos de saúde e bem-estar, enviamos-lhe

Fraternais saudações,

Pelo Centro Redentor.

De "Pessoa dificil" para a página "Família"

De "Pessoa dificil" para a página "Perguntas-Respostas"

Copyright©2005 racionalismo-cristao.org.br. All Rights Reserved