Leitura do mês de
março de 2012

Nada se leva deste mundo

Há muita coisa séria na vida que merece atenção, e, no entanto, às vezes as pessoas dão importância a fatos insignificantes. Seria bom que levassem em conta o que a vida tem de valioso e merece reflexão. Há tanta bobagem, há tanta preocupação com procedimentos sem valor, que revolta os espíritos bem formados.

A realidade é que ninguém leva nada deste mundo, tudo nele fica. Então, por que tanto orgulho, tanta vaidade, tanta pretensão? Seria mais sábio se encarassem a vida dando valor ao que realmente valor tem. Os espíritos não encarnam para perder tempo com bobagens, mas para se ocupar com coisas que tenham finalidade elevada. A pessoa de personalidade sólida não dá importância a misérias morais, o que a vida oferece de mau não a atinge.

Há muito que fazer no mundo e todos estão nele para evoluir. Quando as pessoas procedem mal, só acarretam prejuízos à evolução. Elevem os pensamentos, ocupem-se com coisas úteis, sem se deixar envolver com o que existe de supérfluo. Procurem manter-se de pé na luta pela vida, esforcem-se para alcançar o que desejam, porque sem sacrifício nada se consegue.

Cada indivíduo tem sua maneira de sentir a vida, e não poderia deixar de ser assim. Querer que todas as pessoas pensem igual, façam as mesmas coisas, é desconhecer a realidade espiritual. Quantos pais educam os filhos da mesma maneira, dando-lhes bons exemplos e, depois que se tornam adultos, seguem caminhos bem diferentes! Por isso, aconselhamos que procurem formar o caráter dos filhos. Eles têm que seguir seu caminho. Se possuírem caráter bem formado, podem cometer erros, mas voltam ao curso habitual da vida, porque tiveram boa formação.

É assim que todos devem fazer, porque se educa pensando no que está por vir. Mesmo que não apareça de imediato, a base educativa torna-se sólida no futuro, quando é bem formada no presente. Deve-se desprezar o que a vida tem de ruim e só aceitar o que ela tem de útil. É o que aconselhamos, para o bem-estar e a felicidade de todos.


Luiz de Mattos
Codificador do Racionalismo Cristão



Espiritualista X materialista

O materialista cuida somente das coisas que seduzem e dão prazer. O espiritualista, com visão mais ampla da vida, desenvolve os atributos da alma a todo momento, contribuindo para que o mundo fique melhor.

O espiritualista não cuida apenas do corpo físico e dos bens materiais. Vai mais longe. Gosta de ler para aprender e não para passar o tempo. Exige de si um comportamento que possa refletir-se através do olhar sereno, da voz firme e hospitaleira, das atitudes conciliadoras. Não causa distúrbios, não alimenta discussões, resolve tudo em harmonia, tornando ameno o ambiente à sua volta. Quer trabalhar em sossego, para ter êxito nos empreendimentos. O espiritualista deseja uma vida feliz para si e para o semelhante. Por isso, não pede, não exige, mas oferece o que pode ser útil ao próximo. Sendo assim, ele se destaca pela atitude e pelo exemplo.

Se os seres humanos agissem como orientamos, haveria mais respeito e atenção ao que fazem, haveria maior compreensão. A consciência de cada um estaria voltada para o que é produtivo, pois aqueles que pensam em maldades e desarmonias são instrumentos do astral inferior.

Procurem preparar seus filhos para o viver correto, dando-lhes bons exemplos, que calem fundo nesses espíritos que reiniciam o caminhar evolutivo na Terra. Do contrário, é falar demais, é aconselhar em vão, e nós desejamos que os pais acertem. Irmanados num só querer, todos que se espiritualizam contribuem com seu trabalho e esforço para o bem comum, cada qual na sua esfera de ação.

Há muito que aprender no Racionalismo Cristão. Estudem a Doutrina, para que possam transmitir aos vindouros a certeza de que o ser humano é aquilo que quer ser, e é o que pensa, sempre.


Antonio Cottas
Consolidador do Racionalismo Cristão

 

De "leitura do mês" para a página desta seção

Copyright©2005 racionalismo-cristao.org.br. All Rights Reserved